Sem categoria

Uma rosa para cada ofensa!

Postado em Atualizado em

5215927_d82a8122-41e9-42f9-8ce2-660d249730d3_640_480

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

Os socialistas tem um belo símbolo comum em todas as partes do mundo: uma rosa!

Rosa vermelha, em homenagem a Rosa Luxemburgo, defensora incondicional da revolução socialista!

O ato lamentável de violência contra Jair Bolsonaro não pode expandir para o acirramento da tensão social já grave e explícita.

E num momento de tensão em que o Brasil se envolve no momento, com o ódio gratuito disseminado pela direita fascista e seus seguidores, nada melhor que oferecer uma rosa como o símbolo principal do combate ao preconceito, à ignorância e à violência!

Se vier alguém em sua rede social com o discurso de ódio, não retruque, ofereça a imagem ou o símbolo de uma rosa!

Porquê? Simples.

Porque a esquerda é humana!

Porque a esquerda é progressista!

Porque a esquerda é libertária!

Porque a esquerda é democrática!

E nada mais bonito que trocar o gesto da arma, pelo gesto pacífico da flor, da rosa!

Quem planta colhe!

Vamos plantar a paz, e colher a esperança de dias melhores para o nosso país!

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

Anúncios

Duas imagens: Uma mensagem!

Postado em Atualizado em

1200px-Reichstagsbrandincendio-museu-4

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

Bertolt Brecht fugiu da Alemanha nazista em 28 de fevereiro de 1933, um dia após o incêndio do Reichstag.

O escritor sabia que logo começaria a caça à esquerda e aos opositores do regime de Hitler.

Este trecho acima, da revista alemã Deutsche Welle, marca profundamente o momento em que seu país vivia com o nazismo.

O momento do incêndio do Museu Nacional marcou profundamente a ameaça a democracia quem o Brasil vive!

Tanto na ordem política, como judiciária e institucional.

A escolha entre a retomada e a evolução do jogo democrático, ou da morte de uma nação livre e soberana para o nazifascismo.

Avisos são dados.

Na Alemanha, além do parlamento, queimaram livros!

Aqui, deixam queimar um museu inteiro!

A mensagem é clara: quem não percebe o risco que se corre com o desrespeito aos direitos civis, pode pagar muito caro no futuro pelas escolhas.

A cultura, a educação, a saúde podem sair de cena e deixar um horizonte sombrio, onde um Estado repressivo, onde a ignorância e o ódio sejam a palavra de ordem, façam surgir hordas de uma possível nova geração perdida, alienada e sem compreender o real motivo de sua exploração.

Que isso não aconteça!

E que o mercado financeiro nem de longe apoie essa aberração!

Se a maioria dos donos do capital ousarem fazer do Brasil um subproduto fascistóide, o caos chegará, e quem viver verá!

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

Como tudo começou?

Postado em Atualizado em

17_04_periferiapaulista_foto_skyscrapercity

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

Quando o assunto é periferia, pensamos em um lugar muito distante da cidade, que não tem o mínimo de infraestrutura.

Mas e quando essa infraestrutura chega e nosso bairro desenvolve com os serviços básicos do Estado, não nos damos mais conta de como tudo começou.

A urbanização acaba escondendo nossa raiz de luta por moradia e melhores condições de vida.

Muitas pessoas da nova geração nem conhecem o sacrifício para a compra de terreno, construção das casas, colocação de guias, entre tantos outros sacrifícios.

Um dos sacrifícios era a troca do descanso do fim de semana para a entrega de corpo e alma do mutirão das autoconstruções na região metropolitana da Grande São Paulo.

O curta-metragem “Fim de Semana” de 1977, traz essa memória importante para o nosso tempo.

Um maravilhoso detalhe: a pesquisa e a produção deste filme foi realizado pela Professora da USP Ermínia Maricato, Secretária de Habitação e Desenvolvimento Urbano na Prefeitura de São Paulo, na gestão de Luiza Erundina, sendo também Coordenadora Técnica da Política Nacional de Habitação no Ministério das Cidades e conselheira do Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-Habitat).

O filme é uma realização da Empresa de Planejamento de São Paulo (EMPLASA), mostra principalmente que o território, assim como sua população, é um organismo vivo e, assim como seus moradores, sofre com os problemas e dilemas da falta de infraestrutura, degradação ambiental e ausência das políticas do Estado desde sempre.

Confira abaixo o filme:

Para que não nos esqueçamos nunca que nada vem sem muita luta!

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

Eleição Fake?

Postado em

ponto-de-interrogação-isolado-d-da-bandeira-de-brasil-apoio-co-da-solução-da-dúvida-80727102

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

Começou o período eleitoral.

Começou mesmo?

A impressão que fica no país é que o desânimo com a democracia é tanto, decorrente de grande parte dos políticos terem destruído o processo democrático com o golpe institucional de Estado, que não há satisfação para a realidade da população que sofre no dia a dia com as reais mazelas sociais.

Os políticos, principalmente os de direita que servem a elite golpista do país, discutem o sexo dos anjos, enquanto a esquerda não se une para uma convergência possível que transforme em votos as proposições reais para um novo governo democrático e popular.

A transformação da candidatura de Lula em pilar de sustentação do PT, além de matar no nascedouro a proeminente Manuela D’Ávila, em um frágil balão de ensaio.

Lula tem o direito de ser candidato? Sem dúvida!

O problema é que nas condições atuais, o enfraquece e reduz a cada dia as esperanças que uma candidatura de fato pudesse lançar linhas claras para os eleitores.

A torcida que fica é que no segundo turno o cenário identifique claramente um candidato no campo progressista, para um embate que faça o eleitor identificar de forma clara quem quer que o Brasil retome o processo de crescimento e combate a miséria, daqueles que querem que o país continue a ser explorado pela burguesia conservadora e opressora.

Bom senso neste momento é a única coisa que se espera para as regras nestas eleições.

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

Olha o Golpe: Governo pretende retirar BPC de Idosos e Deficientes!

Postado em

garras_web_previdencia-708x350

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

E o pacote de maldades do governo golpista segue a todo vapor.

Desta vez as vítimas são os idosos e deficientes.

Sem alarde, sem comoção na sociedade.

O governo federal publicou um decreto no Diário Oficial da União que mira irregularidades nos benefícios assistenciais de idosos e deficientes de baixa renda, chamado de BPC (Benefício de Prestação Continuada.

O governo quer cortar o benefício de quem tem renda familiar acima de um quarto do salário mínimo vigente ou que já recebe um benefício previdenciário, por exemplo. Mas, mesmo quem está dentro das regras deve ficar atento para não perder o benefício por erros simples em documentos, como endereço desatualizado, CPF bloqueado ou cadastro não realizado.

Sem maior comunicação e relacionamento do governo golpista com a sociedade, não há uma divulgação maior, e simplesmente milhões de pessoas podem perder seu benefício da noite para o dia!

Confira o que fazer para evitar isso:

1) Inscrição no CadÚnico

Em 2016, o governo publicou um decreto dizendo que os beneficiários do BPC precisam estar inscritos no CadÚnico (Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal). O cadastramento deve ser feito até dezembro deste ano nos Cras (Centros de Referência da Assistência Social) ou nas secretarias de assistência social dos municípios.

Segundo o advogado Roberto de Carvalho Santos, presidente do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários), o primeiro passo para quem não quer deixar de receber o benefício é, portanto, fazer essa inscrição. “O segurado terá até 31 de dezembro deste ano para se inscrever no CadÚnico. Quem não fizer o cadastro, vai ter o benefício suspenso.” Clique aqui e veja os endereços dos Cras em São Paulo (para escolher outra cidade, clique no quadro azul no alto da página – “Alterar local”).

De acordo com um relatório do Ministério da Transparência e da Controladoria-Geral da União, no ano passado, 1,9 milhão de segurados não estavam inscritos no CadÚnico.

O especialista afirmou ainda que o segurado precisa atualizar sua situação no CadÚnico se alguém da família já não mora mais na mesma casa ou se alguém passou a trabalhar. “Se houver alguma mudança na realidade financeira, é preciso levar ao conhecimento do CadÚnico.”

2) Atualização de endereço
Para a advogada Adriane Bramante, presidente do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário), é preciso deixar o endereço atualizado, pois o INSS irá suspender o benefício, mesmo se não conseguir entrar em contato com o segurado. “O beneficiário tem que sempre estar com o endereço atualizado para receber a notificação do INSS e saber o que precisa fazer. Não adianta fugir do INSS achando que, se não receber a notificação, não terá o benefício suspenso.”

3) Regularização do CPF
O relatório do Ministério da Transparência e da Controladoria-Geral da União encontrou 390 mil beneficiários com CPF em situação irregular, que pode ser por problemas na declaração do Imposto de Renda ou inconsistência em algum dado, por exemplo. Será preciso regularizar a situação na Receita Federal, segundo Santos. ( Clique aqui e veja a situação do seu CPF).

4) Documentos que comprovem incapacidade
Além de demonstrar que têm baixa renda, os deficientes também podem ter que comprovar que sua condição continua. “Os deficientes podem ser convocados para passar por uma perícia que prove que o problema de saúde continua. É possível apresentar laudos e relatórios médicos ao perito do INSS”, disse Santos.

Benefício pode ser suspenso

Segundo a publicação no Diário Oficial da União, o BPC será suspenso quando:

  • O deficiente recuperar a capacidade ou o idoso/deficiente tiverem renda familiar maior do que um quarto do salário mínimo;
  • Se houver irregularidade; s
  • Se eles não se inscreverem no CadÚnico;
  • Se não agendarem a reavaliação da deficiência;
  • Se houver inconsistências ou dados insuficientes no cadastro que prejudiquem a avaliação de elegibilidade do benefício.

Sanções

  • O INSS suspende o benefício e notifica o segurado por correspondência ou pela rede bancária. No banco um funcionário pode informar se ele precisa regularizar a situação. Se o INSS não conseguir notificá-lo, o benefício é bloqueado mesmo assim. O dinheiro fica na conta, mas o segurado não poderá movimentar os valores. Esse bloqueio dura um mês.

Para desbloquear, será preciso entrar em contato com o INSS, que vai informar o motivo para o bloqueio e o prazo para a defesa, que é de dez dias. O INSS terá 30 dias, prorrogável por mais 30, para analisar a defesa.

Se o segurado não entrar em contato com o INSS dentro do prazo de 30 dias do bloqueio ou se os documentos apresentados pela defesa forem considerados insuficientes, o pagamento fica suspenso. Isso significa que o INSS deixará de enviar os valores para o banco.

O beneficiário deverá ser informado pelo INSS sobre os motivos da suspensão e sobre o prazo de 30 dias para entrar com recurso dessa decisão. O recurso será analisado pelo Conselho de Recursos do Seguro Social.

O BPC é encerrado se o segurado morrer, se não entrar com recurso no prazo de 30 dias após a suspensão ou se o conselho não aprovar o pedido de recurso.

Quem tem direito
O BPC é um benefício assistencial da Lei Orgânica da Assistência Social. Têm direito:

Idosos: com 65 anos ou mais
Pessoas com deficiência: qualquer idade. É preciso comprovar impedimentos de, no mínimo, dois anos de natureza física, mental, intelectual ou sensorial
Também é preciso que a renda por pessoa da família seja menor do que um quarto do salário mínimo vigente (R$ 238,50, em 2018). É preciso ter residência fixa no Brasil.

O valor é de um salário mínimo (R$ 954, em 2018). Por se tratar de um benefício assistencial, não é necessário ter contribuído ao INSS. O segurado não recebe 13º salário e não deixa pensão por morte.

Fonte:

jornalfloripa.com.br

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

O que podemos aprender com o Facebook?

Postado em

rede digital

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

Uma rede social.

Centenas de milhões de conexões.

Ideias que circulam.

Mas, e se de repente alguém tem a infeliz ideia de manipular esta rede?

Idéias não seriam mais espontâneas.

O gosto por algo teria o mesmo padrão.

O tom de cor multicolorido passaria a ser monocromático.

As ideias e conceitos teriam um único valor e não haveria mais o rico confronto de pensamentos.

Mas e se um grupo financiado por interesses escusos quisesse manipular uma rede em um período eleitoral?

O estrago seria maior!

Vidas que dependem de um projeto de país, ficariam reféns de racistas, estelionatários, usurpadores, especuladores, enfim, pessoas sem nenhum escrúpulo em projetos suicidas de poder.

Esta é a mensagem que o facebook quis passar para movimentos de direita no Brasil.

Porque liberdade é bom com diversidade.

O contrário é alienação, privação e, a longo prazo, escravagismo!

Gol a favor para Mark Zuckerberg!

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉

Como desconstruir um país?

Postado em Atualizado em

images

Por Mauricio Vlamir Ferreira.

O título acima é bem sugestivo. Diria que até convidativo.

Afinal de contas, quem às vezes na vida nunca zerou tudo e começou sua própria reconstrução?

Porém no Brasil lidamos com mandatários profissionais no que diz respeito a construir e até descumprir as próprias leis que os fazem mais ricos e os pobres cada vez mais pobres!

Acusam, prendem, soltam quem querem!

À revelia da Lei.

Lei criada, cumprida, respeitada e formalizada, quando conveniente.

Lei criada, ultrajada, rasgada e pisada, quando conveniente.

Desconstruir um país para remontá-lo conforme o interesse coletivo é essencial.

Desconstruir um país para o interesse de algumas famílias é criminoso!

É da segunda forma que fazem atualmente em nosso país.

Entregaram as reservas de petróleo.

Aumentam absurdamente impostos.

Sobem infimamente o salário mínimo.

Retiram direitos dos trabalhadores.

E agora, aprovam uma lei que libera o nepotismo!

Sim, agora filhos, afilhados, parentes e afins poderão trabalhar nas assessorias políticas e em empresas estatais!

Na calada da noite.

Nos ensinam mais uma vez, mais que desconstruir um país.

Nos mostram como destruí-lo!

*Mauricio Vlamir Ferreira é Assistente Social, Especialista em Serviço Social e Educador.

Se você quiser fazer comentários e deixar sugestões sobre este artigo, basta clicar no título acima e acessar o espaço reservado no final do post.

O Blog Contraponto Social agradece a sua visita! 😉